Software por demanda é o que mais recebe investimento de P&D no Brasil

A participação de empresas inovadoras entre os negócios no ramo de serviços de tecnologia da informação cresceu 1,4% no Brasil, assim como os investimentos em pesquisas dessas atividades: 77,6%. Estes valores referem-se a uma média entre os índices constatados na mais recente edição do “Insights Report – Panorama do Setor de Tecnologia da Informação e Comunicação 2020”. 

Em comparação com as demais atividades econômicas, é um investimento duas vezes e meia superior. “As empresas do ramo de serviços de TI investiram, em 2017, o equivalente a 2,2% de sua receita líquida. Já o conjunto de todas as empresas da economia investiu o equivalente a 0.9%, naquele mesmo ano. A proporção do segmento ‘software não customizável’ foi a maior, o dobro da média do ramo; 5,7%, afirma o diretor-presidente da Assespro-PR, Adriano Krzyuy.

Dos cinco segmentos considerados no ramo ‘Serviços de TI’, o de software sob encomenda foi o que registrou a maior taxa de crescimento nos investimentos em pesquisa e desenvolvimento, no período 2011-2017. O incremento foi de 124% entre os investimentos somados em 2011 (da ordem de R$ 196 milhões) e os verificados em 2017 (mais de R$ 439,5 milhões).

Na sequência, o segmento “tratamento de dados e hospedagem na internet” foi o responsável pelo maior acréscimo em investimentos em P&D: 121%, passando dos R$ 265,1 milhões anotados em 2011 para R$ 586,6 milhões finalizados em 2017.

Os outros três segmentos também acumularam incrementos significativos, entre 2011 e 2017: software não customizável, 61% (de R$ 407,1 milhões para R$ 655,4 milhões); software customizável, 51% (de R$ 285,7 milhões para R$ 432,5 milhões); e outros serviços em TI, 31% (de R$ 304,3 milhões para R$ 399,7 milhões).

O estudo é produzido pela Assespro-Paraná e pelo Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR). A nova edição é baseada na última Pesquisa de Inovação (Pintec) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que abrange o período de 2015 a 2017, em comparação com outros dois triênios anteriores: 2012-2014 e 2009-2011.

Na comparação entre o triênio mais recente (2015-2017) e o triênio imediatamente anterior (2011-2014), em quatro segmentos houve um aumento na participação de empresas inovadoras em relação ao total de empresas de todo o ramo:

Segmento software customizável: de 41% (2011-2014) para 55% (2015-2017)

Segmento software não customizável: de 44% (2011-2014) para 49% (2015-2017)

Tratamento de dados e hospedagem na internet: de 18% (2011-2014) para 32% (2015-2017)

Outros serviços: de 33% (2011-2014) para 34% (2015-2016)

Apenas o segmento software sob encomenda apresentou queda na participação de empresas inovadoras de um triênio para outro: 72% (2011-2014) para 45% (2015-2017)

Fonte: Convergência Digital