Secretaria terá primeira assessoria de gestão inteligente e inovação

A inovação por meio da tecnologia da informação aplicada aos órgãos públicos modifica a forma como o governo interage com a população e oferece serviços públicos. Pensando nessa proposta, a Secretaria de Justiça, Família e Trabalho do Estado do Paraná (Sejuf-PR) criou a primeira assessoria de Gestão Inteligente e Inovação do Governo do Estado, área que pretende incentivar e desenvolver métodos técnicos que auxiliem na melhoria dos serviços prestados pela pasta.

O trabalho da nova assessoria vai ao encontro das diretrizes de gestão do governador Carlos Massa Ratinho Junior: tornar o Estado do Paraná referência em inovação em todo no Brasil. Para essa missão, o secretário Ney Leprevost designou o especialista em inovação com ênfase em cidades inteligentes André Telles, professor, autor de cinco livros sobre o tema e co-fundador do iCities, empresa que representa a FIRA Barcelona no Brasil.

O assessor de Gestão Inteligente e Inovação da Sejuf explica que já estão sendo implementados métodos já utilizados por startups e outras empresas de tecnologia para melhorar os fluxos de trabalho e trazer inovação. “Primeiro é feito um levantamento do papel de cada departamento e programa dentro da Secretaria. Após isso, há um diagnóstico para identificar os problemas que podem ser desenvolvidos por meio da inovação e da tecnologia. Em seguida, outra fase para verificar se as hipóteses levantadas são válidas ou não”, explica.

Após essas etapas será realizado o acompanhamento das soluções, dos testes e de suas futuras implementações.

APLICAÇÕES – A área de gestão inteligente e inovação será aplicada nas políticas da criança, do adolescente e do idoso; no Departamento dos Direitos da Mulher, no Departamento de Justiça e nas demais áreas que compõem a Sejuf. O objetivo é trazer soluções práticas tanto para as licitações quanto para a conduta dos próprios servidores.

No Departamento de Justiça, alguns eixos de atuação incluem prevenção à corrupção dentro e fora dos órgãos públicos, programas de integridade e controle interno de detecção e tomada de providência. “Assim, vamos conseguir evitar que nos contratos públicos haja um direcionamento, uma fraude ou até mesmo o enriquecimento ilícito de servidores”, destaca o futuro diretor do Departamento de Justiça, Felipe Hayashi.

PARCERIAS – A Sejuf também já começou a prospectar parcerias de projetos de gestão e tecnologia que possam otimizar e dinamizar o funcionamento da nova pasta. André Telles, discutiu o assunto nesta terça-feira com o vice-presidente de Governança e Planejamento da Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro), Luís Mário Luchetta.

A Assespro é uma entidade sem fins lucrativos criada com o intuito de representar de forma distinta e empreendedora, empresas privadas nacionais produtoras e desenvolvedoras de software, produtos e serviços de tecnologia da informação, telecomunicações e internet.

Fonte: Secretaria da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos.