Programa de empregos para jovens em TI no PR já está empregando

Prime Control, de Curitiba, capacita e contrata cinco jovens aprendizes no Programa “1º Emprego Tech”

 

O Programa “Meu Primeiro Emprego em Tecnologia”, que promove a capacitação de jovens entre 16 e 22 anos para atuar no setor de tecnologia, já tem dado frutos.

Lançado em Curitiba no início deste ano, o “1º Emprego Tech”, como também é chamado, formou sua primeira turma com 260 jovens aprendizes no mês de agosto e já tem alunos contratados. 

A iniciativa foi desenvolvida pela Fundação de Ação Social (FAS), Agência Curitiba de Desenvolvimento e Inovação, Vale do Pinhão, com parceria da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação (TI) no Paraná (Assespro-Paraná) e Endeavor Brasil.

A Prime Control – empresa parceira do Programa focada em soluções de qualidade de software e automação de processos – foi uma das empresas que realizou a capacitação de jovens que agora ela está contratando.

Segundo o CEO da empresa, Everton Arantes, já foram admitidos cinco egressos do programa. “Acreditamos muito no ecossistema de formação. Os jovens que ainda estão no ensino médio possuem um potencial muito grande. Com uma boa formação técnica podem vir a se tornar ótimos profissionais no mercado de tecnologia”.

Everton Arantes explica como se deu o processo: “Realizamos uma capacitação em três módulos, voltados a ensinar os tipos de qualidade de software, por meio de um conteúdo de automação web, e a proporcionar uma visão geral da área de TI. Agora estamos contratando esses jovens para atuar em vagas de estágios, em que poderão aprofundar a formação obtida”.

O presidente da Assespro-Paraná, Adriano Krzyuy, afirma que a parceria entre poder público, empresas e terceiro setor, tem sido o pilar para o “1º Emprego Tech” dar certo. Ele destaca, também, o fato de a iniciativa priorizar a formação de jovens para um mercado cujos dados confirmam a empregabilidade em alta. Nos últimos 12 anos, o Paraná registrou um aumento acumulado de 160% nos postos de trabalho, e, neste ano, mesmo com a pandemia de Covid-19, o saldo se mantém positivo, de acordo com os dados da entidade.

“É comum haver vagas disponíveis no setor de TI sem ser preenchidas por falta de candidatos com a formação adequada. Em um momento em que precisamos combater o desemprego, um programa de capacitação contribui significativamente nesses esforços”, diz Krzyuy.

Para a presidente da Agência Curitiba, Cris Alessi, o “1º Emprego Tech” preenche uma lacuna entre as necessidades do mercado de TI e as empresas de bases tecnológicas e startups: a dificuldade de se encontrar pessoal formado e com qualificação profissional adequada às peculiaridades do setor. A gestora pública destaca a parceria entre poder público, empresas e a Assespro-Paraná, para a eficácia do Programa.

“Foi um Programa desenhado por muitos parceiros, como os RHs de startups e empresas, e, ainda, Assespro-Paraná e a Endeavor Brasil – uma organização do terceiro setor voltada à TI. O poder público busca os jovens e as empresas cumprem as etapas como a formação, a qualificação e a contratação”, afirma Alessi.

A executiva explica que, em razão da pandemia, o Programa teve que se adaptar, mas, para 2021, a expectativa é de que haverá mais jovens contemplados com capacitação e, também, mais empresas envolvidas.

Adriano Krzyuy completa que para jovens interessados em ingressar no setor promissor, existem também outros programas parecidos, como o “Melhor Aprendiz Tech”: Programa lançado em setembro pelo Senac no Paraná com apoio da Assespro-PR, que envolve poder público (governo do Estado), empresas e terceiro setor. A primeira fase já está aberta e diz respeito à inscrição de empresas de base tecnológica que queiram capacitar jovens para trabalharem com Programação de Sistemas e Programação Web.