Parceria com a Europa impulsionará a inovação no Paraná

Em evento realizado na sede da Assespro-PR, entidades e profissionais das áreas de tecnologia e relações internacionais discutiram o desenvolvimento do projeto no Paraná.

Os projetos de inovação do Paraná ganharão um novo impulso com a parceria estabelecida entre o Governo do Estado do Paraná, a Governança de Tecnologia de Informação e Comunicação do Estado do Paraná (TIC-PR) e a União Europeia por meio do Programa Diálogos Setoriais. Além das entidades citadas, também contribuíram para a aliança a Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-PR), Instituto Brasileiro de Informação e Comunicação (MCTIC), Ministério de Integração Nacional (MI), Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE) e Direção Geral da Política Regional e Urbana da Comissão Europeia.

A parceria concretizou-se durante o evento “Especializações Inteligentes: contextualização e experimento no Paraná”, entre os dias 30 e 31 de julho na sede da Assespro-PR, quando foi realizado um experimento observando o complexo agro e, também smart energy, ambas articuladas com as tecnologias da informação e comunicação.

Estiveram presentes na cerimônia representantes do Governo Federal e Estadual, do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico (IPARDES), Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI), Governança Estadual de TIC, Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBCTI) Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) e Dominique Foray,  professor da Escola Politécnica Federal de Lausanne – referência internacional em sua área de atuação; além de profissionais da área de tecnologia e relações internacionais do Estado do Paraná.

Foray aponta que a meta do programa é dar apoio a uma atividade transformadora e espera como resultado uma lista de propostas atraentes para dar início ao projeto. Ele destaca que “deve-se priorizar as ideias e atividades transformadoras” e dar assistência aos que se mostram engajados em transformar o meio. O critério principal para participação do programa, de acordo com Foray, será reconhecer as capacidades e oportunidades para inovar no setor escolhido.

O professor também evidencia a importância de identificar quais são as reais necessidades e especializações de uma região: “na Europa as regiões antes se especializavam em atividades da moda e não no que de fato eram suas capacidades, isso trazia uma falha ao projeto”. Para ele, quando uma região define a atividade de trabalho, deve-se granular o conhecimento e realmente especializar-se na atividade fim.

Para Paulo Pitanga, coordenador geral de monitoramento e avaliação de políticas regionais do Ministério da Integração Nacional, a união vem para “desenvolver um trabalho de integração da política regional e o tema inovação no estado do Paraná”. Pitanga destaca que estas ações contribuirão para a nova proposta de política de inovação a ser encaminhada ao novo governo (que iniciará em 2019).

Também otimista, o presidente da Assespro-PR, Adriano Krzyuy, afirma que o projeto “será determinante para o crescimento das atividades inovadoras no Paraná” e aponta que a entidade está motivada com a esta possibilidade de transformar as TICs paranaenses em um dos principais vetores de desenvolvimento para o Estado do Paraná.

O consultor e apoiador da Governança Estadual de TIC, Izoulet Cortes Filho, explica quais serão os próximos passos para a recepção e realização dos projetos: implantação do experimento no Estado do Paraná, contemplando as áreas de energia e agronegócio tendo o TIC como uma conexão. Ao mesmo tempo, possibilitar o diálogo entre as agências estaduais e federais de fomento, para que possibilite o estabelecimento de financiamento e fomento para as ações definidas como prioritárias.

De acordo com Cortes Filho: “o experimento tem muito a ver com a adequação do método das especializações inteligentes que estão chegando ao Brasil e trouxemos para o Estado do Paraná”. Ele destaca que o Paraná é o pioneiro na condução do projeto, que também será realizado em cidades dos estados do Pará e Pernambuco.