Paraná é o 4° em desenvolvimento de software, mas o 7° estado brasileiro em faturamento, aponta Assespro Innovation Day

Evento realizado durante a Semana de Inovação apontou espaço para crescimento e reforçou a necessidade de atração de investimento risco.

Semana da Inovação contou com a presença de autoridades do estado e da área de tecnologia: Assespro Innovation Day fez a estreia do evento.

Uma potência que pode ir muito além. Essa é a conclusão que tiraram os profissionais e palestrantes sobre o estado do Paraná ao participarem da primeira edição da Assespro Innovation Day, evento realizado na terceira Semana de Inovação do Paraná. Referência em tecnologia, ele ocupa posições que podem ser ainda mais bem exploradas.

É o caso do desenvolvimento de software. De todas as unidades federativas do Brasil, o Paraná ocupa o quarto lugar na criação desse produto, a base da inovação, mas, ele é o sétimo em faturamento. “Estamos distantes 3 bilhões de reais do próximo colocado”, apontou o presidente da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação (Assespro-PR), Lucas Ribeiro. No entanto, essa lacuna é saudável: mostra o quanto ainda o Paraná pode surfar nessa onda que domina com expertise. “Precisamos fazer mais dinheiro, sem medo, atrair o capital de risco e temos tudo para isso. Política boa é aquela que gera riqueza e temos espaço para muito mais, apoiados aqui por pessoas de bem, dispostas aos riscos e desafios”, aponta Ribeiro.

Esse viés é compartilhado por Marcelo Rangel, superintendente geral de Inovação (SGI). Ele defende a popularização da tecnologia, compartilhando soluções e ideias com, como ele mesmo disse, a “dona Maria e o filho da dona Maria”. Rangel também propõe a descentralização tecnológica, garantindo mais espaço para pesquisa nas cidades de pequeno porte. “O Paraná tem se destacado nacional e internacionalmente. Não temos dúvidas da inovação. A nossa meta é fazer com que ela seja simples, chegue àquelas pessoas que não têm a mesma oportunidade acadêmica. É um grande desafio”, afirmou.

O governador do Estado, Carlos Massa Ratinho Junior, entende que a movimentação conjunta entre diferentes atores da sociedade faz a roda da inovação girar mais rápido e que é esse o diferencial do Paraná, o tornando forte, produtivo e com capacidade para buscar o que falta para equilibrar produção e faturamento. O governador participou da abertura do Innovation. “A inovação está na atitude. É a conversa que faz a roda girar. E esse é um movimento atrativo, que cria uma cultura de inovação, de pensar fora da caixa. É a fórmula do sucesso, e estamos no caminho certo”, afirmou o governador.

O Paraná, reforçou o secretário de Empreendedorismo e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, Paulo Alvim, é destaque no ecossistema de inovação brasileiro e precisa de iniciativas como essa para manter sua liderança. “Não podemos perder essa janela de oportunidade, em que a inovação, a transformação digital e o conhecimento de base científica e tecnológica passam a ser o fator que vai agregar valor aos produtos e serviços que a sociedade demanda, criando um ciclo virtuoso”, afirmou Alvim. Ao vivo, durante a transmissão, o secretário fez elogios ao estado. “Na última chamada de recursos humanos voltada para empresas de base tecnologia na área de startup, o estado foi responsável por 30% do resultado da chamada nacional”.

APOIO PARA CRESCER

O Assespro Innovation Day trouxe soluções, especialmente para as empresas que querem crescer ainda mais e, quem sabe, alcançar degraus importantes e colocar o Paraná em lugares mais altos do pódio, preenchendo esse “vácuo” bilionário apontado por Lucas Ribeiro. “A Revolução Industrial só foi reconhecida como movimento quatro décadas depois de ter acontecido. Estamos dizendo que vivemos a transformação digital e talvez isso já tenha acontecido. Com isso, mudam as regras do jogo. A velocidade passou a ser preponderante. Você precisa colocar em campo métrico, velocidade e encaixe e, para isso, é preciso ter estratégia e capital”.

Com essa aula, Robert Janssen, americano parcialmente educado no Brasil e CEO da aceleradora OBr.global, apresentou, através do investidor-anjo e presidente da Federação da Assespro, Yves Nogueira, o fundo Assespro Investe, um mecanismo lançado em 2020 para que associados possam acelerar seus processos. O Investe tem parceria com a Bossa Nova Investimentos. “É um investimento de alto risco, mas, como a gente gosta de dizer, com possibilidade de alto retorno também”, disse Yves. Os aportes são para startups selecionadas em comitê. Elas recebem ajuda financeira, mentoria e apresentação ao mercado global. A princípio serão investidos R$ 5 milhões em, pelo menos, dez novas empresas de base tecnológica.

Entre os itens que constam na tese do comitê está o foco nas startups B2B/ B2B2C, inovadoras, digitais e escaláveis. Elas também devem ter mais de um ano de atuação e com produtos e serviços já validados. Já o cheque para investimento em cada startup começa a partir de R$ 100 mil. As startups interessadas devem se inscrever pelo site da Bossa Nova Investimentos em: https://www.bossainvest.com/assespro/.

Vale lembrar que fomentar startups é importante, afinal, parte do pioneirismo paranaense se dá pelo número delas no estado, que vem crescendo nos últimos anos. De acordo com o Mapeamento das Startups Paranaenses 2020/2021, realizado pelo Sebrae/PR, o Paraná conta hoje com 1.434 empresas em 87 cidades – o que representa um acréscimo de 39% em relação ao estudo anterior, divulgado no segundo semestre de 2019.

EXPERIÊNCIAS

O brasileiro Tony Ventura e o americano Dave Mosby participaram da programação do Innovation. Ventura, como especialista em novas tecnologias, apresentou o que há de mais moderno no mundo e que já está bastante acessível (do ponto de vista de valores). É o caso, por exemplo, dos óculos que filmam, gravam e permitem atender ligações. Outro exemplo, é o pagamento no guichê do metrô no Rio de Janeiro. “Se você tem o cartão de crédito no celular ou o cartão do metrô, basta aproximar o aparelho no totem e pronto. Nova Iorque está implantando isso agora e, o Brasil, há dois anos já faz uso dessa tecnologia”, destacou.

Mosby, convidado internacional, trouxe a experiência do Vale do Silício para o evento. Em sua fala, ajudou empreendedores a acelerar o acesso ao capital e aos recursos de que seus negócios precisam para crescer.

ORGANIZAÇÃO E APOIO

A Assespro Innovation Day é uma organização da Assespro e conta com o patrocínio da Fomento Paraná, Celepar e OBr.Global.

“Estamos honrados em apoiar o evento e aproveito para dizer que, além desse apoio, a Celepar e Assespro têm inúmeras parcerias e projetos em andamento para que a tecnologia e a inovação sejam acessíveis para todos os paranaenses”, destacou o diretor-presidente da Celepar, Leandro Moura. Para Heraldo Neves, diretor-presidente da Fomento Paraná, “é dever da entidade, como instituição financeira, apoiar iniciativas voltadas a estimular a inovação”. Robert Janssen voltou a dizer que trabalhar com o Paraná, protagonista e tecnicamente bem-preparado para a nova realidade digital, “é uma honra. É um prazer enorme fazer parte deste time e ser um componente neste elo que ajuda na promoção da cadeia de inovação no estado”.

Apoiam o evento, o Sebrae, o Senac, o Tecpar, o Lactec e a Universidade Federal do Paraná (UFPR). Para o time, estar participando de um evento com histórico de apoio à área tech é motivo de orgulho.

SERVIÇO

A Semana de Inovação do Paraná é uma iniciativa do Governo do Estado por meio da SGI. Além do Assespro Innovation Day, outros dois eventos compuseram a edição: o Smart City Session e o Viasoft Connect 2021. Todos os eventos foram on-line e gratuitos, com palestras e painéis. Para quem perdeu os temas do Innovation, basta acessar o canal da entidade no YouTube e rever os conteúdos.