Mundo já conta com um bilhão de conexões de banda larga fixa

O mundo já conta com um bilhão de acessos de banda larga fixa. A marca foi anunciada nesta terça-feira, 23, pelo Broadband Forum, e corroborada pela empresa de análise de mercado Point Topic, que afirma que isso representa um aumento de 2,53% na quantidade de conexões no segundo trimestre deste ano em relação ao trimestre imediatamente anterior, o que seria o maior crescimento dos últimos seis trimestres.

De acordo com a empresa de análise, o mercado global de banda larga fixa contava com 983,456 milhões de acessos ao final do primeiro semestre. Comparado com igual período de 2017, o avanço foi de 9,70%. Por regiões, a América Latina foi responsável por 5% das adições líquidas no segundo trimestre, atrás apenas da Ásia, que teve mais de 80% de todas as novas conexões. No total, a Ásia conta com 53,21% dos acessos no mundo, enquanto a América Latina representa 7,40% do mercado global.

A banda larga fixa no Brasil cresceu entre abril e junho 1,61%, atingindo a penetração de 12,93% da população. O estudo destaca também o avanço de 14% das conexões em fibra no mesmo período. O mercado brasileiro é o sétimo em quantidade total de acessos fixos, após China, Estados Unidos, Japão, Alemanha, Rússia e França. O País está à frente de Reino Unido, Coreia do Sul e Índia. Em termos de adições líquidas no trimestre, o Brasil está em quinto, atrás de China, EUA, Vietnã e Indonésia; e à frente de Egito, Rússia, Turquia, México e África do Sul.

Dados da Anatel referentes ao mesmo período mostram que a banda larga fixa no Brasil em junho totalizava 30,308 milhões de acessos, dos quais 4,132 milhões eram de FTTH. Os acessos via cabo totalizavam 9,250 milhões de contratos, enquanto os de xDSL somavam 12,877 milhões de conexões.

Avanço da fibra

A maioria dos novos acessos no trimestre no mundo veio de países em desenvolvimento, segundo a Point Topic. Por outro lado, os mercados já desenvolvidos têm apresentado crescimento na receita média por usuário (ARPU) em decorrência de ofertas e serviços melhores com velocidades maiores, como a conectividade em gigabit.

O estudo considera ainda que 80% das conexões são FTTx ou baseadas em cabo, enquanto os acessos xDSL continuam a cair – somente no último ano, a queda foi de 7,6%. Na mesma comparação, os acessos FTTH avançaram 23,8%, enquanto os FTTx subiram 5,8%. O cabo aumentou 4,9% no período, e o satélite, 0,6%. Por outro lado, as conexões de rádio caíram 3,6%.

A China liderou a adoção em fibra, com aumento anual de 26% nas conexões FTTH (ou 80% das adições globais no período). Outros países que foram destaque nesse tipo de última milha, incluem o Brasil (14%), África do Sul (19%), Reino Unido (10%) e França (9%).

Em comunicado, o CEO do Broadband Forum, Robin Mersh, ressaltou as oportunidades que a banda larga fixa traz com serviços baseados em cloud, virtualização e inteligência artificial. Mas também há desafios para a indústria conectar os mais de um bilhão de “clientes em potencial” ainda desconectados. “Isso representa outra área de enorme potencial de crescimento e oportunidade – tanto para operadoras procurando novos mercados quanto para melhoria na qualidade de vida desses assinantes em potencial”, declarou.

Fonte: teletime.