Ministros do BRICS aprovam plano de cooperação em inovação

Parceria entre as nações foi firmada durante 9ª Reunião Ministerial sobre Ciência, Tecnologia e Inovação, realizada nesta sexta-feira (26)

Os países do BRICS (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) aprovaram um plano de cooperação em inovação para os próximos quatro anos (2021-2024), durante a 9ª Reunião Ministerial sobre Ciência, Tecnologia e Inovação, realizada nesta sexta-feira (26). O acordo prevê ampliar a cooperação entre as nações do BRICS por meio de uma série de ações focadas em transferência de tecnologia, redes de parques tecnológicos e estímulo a ambientes de inovação, principalmente startups.

 “Ciência, Tecnologia e Inovação é a chave para o desenvolvimento econômico e social dos nossos países e para o futuro do planeta”, afirmou o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações do Brasil, astronauta Marcos Pontes, durante o encontro. Segundo ele, a pandemia da Covid-19 mostrou a importância do trabalho conjunto entre os países. “O Brasil e o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações está aqui para dar apoio e obter os melhores resultados dessa cooperação”, reforçou.

A inovação é um dos quatro pilares da cooperação em C,T &I entre os BRICS, que também inclui a colaboração em pesquisa, infraestrutura de pesquisa e sustentabilidade. O plano de inovação do BRICS 2021- 2024 dá continuidade ao plano anterior, aprovado em 2017 na China, e tem uma série de atividades previstas para os próximos anos com algumas diretrizes principais: compartilhar as melhores práticas e permitir a implementação de políticas de inovação nos cinco países; fomentar a rede entre o ecossistema de inovação do BRICS (incubadoras e startups); criação de uma plataforma de troca de conhecimento e criação de banco de dados de inovação e tecnologia.

Ações e prioridades

Durante a reunião do BRICS, os ministros de C,T&I dos cinco países fizeram um balanço sobre as ações e avanços obtidos ao longo do ano de 2021, além de apontar para as prioridades e compromissos futuros. Parte do encontro foi dedicado para relatar o esforço conjunto das nações no enfrentamento à pandemia da Covid-19.

Pelo Brasil, o ministro Marcos Pontes enfatizou que a vacinação avança no país, com mais de 60% da população imunizada com duas doses, e citou diversas ações adotadas pelo MCTI. O ministro disse que 15 estratégias de desenvolvimentos de vacinas nacionais estão em andamento, sendo que 5 delas estão em estágio avançado. Além disso, apontou investimentos em novos remédios, equipamentos, no sequenciamento genético de variantes do vírus da Covid-19 e na implantação de um laboratório de biossegurança máxima (NB4) no país.

Na parte dedicada a apresentar as prioridades e políticas em andamento no setor de C,T&I, o ministro brasileiro destacou as seguintes ações: o projeto de criação de um Centro de Tecnologia em Energias Renováveis no Nordeste do país; a criação da Autoridade Nacional de Segurança Nuclear; O lançamento de satélites como o Amazônia-1 e a estruturação do  Centro de Lançamentos de Alcântara, no Maranhão; projetos voltados à proteção e desenvolvimento sustentável de biomas brasileiros, como o Sistema Amazônico de Laboratórios Satélites MCTI (SALAS MCTI) e o Regenera Brasil.

Calendário

Outro documento aprovado durante o encontro foi o calendário de atividades para 2022, quando o grupo será presidido pela China, com todos os eventos previstos para o próximo ano. A 9ª Reunião Ministerial do BRICS sobre C,T&I,  coordenada de forma virtual pela Índia, contou com a participação do ministro da Ciência e Tecnologia da Índia, Jitendra Singh; do vice-ministro de Ciência e Tecnologia da China, Zhang Guangjun; da ministra de Ciência e Educação da Rússia, Natalya Bocharova; e do representante da Educação, Ciência e Tecnologia da África do Sul, Phil Mjwara.

Fonte: MCTI