Importância do agronegócio brasileiro marca abertura da Digital Agro 2019, feira referência em tecnologia para o campo

Secretário de Inovação do Ministério da Agricultura, Fernando Silveira Camargo, ministrou a palestra de abertura da terceira edição

A terceira edição da Digital Agro, principal feira de tecnologia para o campo do Brasil, começou na noite desta terça-feira (11) com a presença de autoridades políticas e representantes do agronegócio. Promovida pela Frísia Cooperativa Agroindustrial com parceria técnica da Fundação ABC, o evento segue até o dia 13 de junho, em Carambeí, na região dos Campos Gerais do Paraná.

O diretor-presidente da Frísia, Renato Greidanus, deu início à abertura da feira ressaltando a importância da agricultura 4.0, que é o futuro do campo. “Somos muito gratos a todos que estão aqui, que acreditam no poder do campo como nós. As tecnologias e inovações, quando trabalhadas em conjunto, podem ser potencializadas, e o maior beneficiado é o produtor”, destacou. Greidanus destacou ainda a importância da valorização das pessoas. “Os produtores são a força da cooperativa, o centro do nosso trabalho, e é para eles que geramos essas oportunidades”, destacou o diretor-presidente da Frísia.

O vice-governador do Paraná, Darci Piana, que representou o governador Ratinho Júnior, avaliou que a região dos Campos Gerais é de grande importância para os produtores rurais brasileiros. “Cada vez que visito Carambeí saio mais orgulhoso por saber que temos aqui o celeiro do mundo”. O secretário de Estado da Agricultura e Abastecimento, Norberto Ortigara, ressaltou a importância do investimento em inovação e tecnologia, porque “conhecimento aplicado gera resultado e aumenta a produção. A nossa visão, do produtor paranaense, é a de transformar não só o nosso Estado, mas sim o Brasil”.

Para o gerente-técnico da Fundação ABC, Luís Henrique Penckowski, o maior insumo da agricultura é a informação. “Mais uma vez a Frísia reúne em um só lugar pessoas inovadoras que estão deixando um legado muito importante para o agronegócio brasileiro”, ressaltou. Já o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, destacou o pioneirismo do cooperativismo paranaense nas áreas de inovação e tecnologia. “Foi esse diferencial que fez com que, mesmo em um momento de crise, o agronegócio paranaense continuasse crescendo”, salientou.

A noite contou ainda com a apresentação do secretário de Inovação, Desenvolvimento Rural e Irrigação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), Fernando Silveira Camargo, que destacou a importância do agronegócio brasileiro no contexto mundial. “O Brasil é uma potência alimentar. Um estudo da Food and Agriculture Organization of the United Nations (FAO) estima que, para alimentar 10 bilhões de habitantes em 2050, precisaremos aumentar a produção de alimentos atual em 70%. Nesse cenário, o papel do Brasil é importantíssimo e a nossa missão é elevar a produtividade, sem expandir a área, para não prejudicar o meio ambiente”, relatou.

A abertura oficial do evento foi finalizada com um vídeo feito pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina, que não pode estar presente na feira porque está em Brasília discutindo o Plano Safra, mas elogiou e destacou a importância da iniciativa. Estiveram presentes também o prefeito de Carambeí, Osmar Blum, o presidente da Fundação ABC, Andreas Los, e o deputado estadual no Paraná Emerson Bacil (PSL).

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial

Fundada em 1925, a Frísia é a cooperativa mais antiga do Paraná e segunda do Brasil. Localizada na região dos Campos Gerais, tem sua produção voltada ao leite, carne e grãos, principalmente, trigo, soja e milho. A cooperativa é resultado da união do trabalho de todos os cooperados e colaboradores; da diversificação da produção, englobando a produção leiteira, de grãos e de proteína animal; e da alta qualidade do que é feito e comercializado, com animais de excelente genética, rastreamento e investimento em tecnologia, infraestrutura e mão de obra. Os valores da cooperativa são Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA).

Sobre a Fundação ABC

A Fundação ABC é uma instituição de pesquisa agropecuária que realiza trabalhos para desenvolver e adaptar novas tecnologias, com o objetivo de melhorar as produtividades de forma sustentável aos mais de cinco mil produtores rurais filiados às cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, além dos agricultores contribuintes. O trabalho da fundação abrange uma área de 467,2 mil hectares, além de uma bacia leiteira de mais de 678 milhões de litros/ano. A instituição também realiza projetos de pesquisa com empresas privadas, por contratos de cooperação técnica, e mantém vínculos com empresas de pesquisa pública. A sede é em Castro (PR) e os cinco campos demonstrativos e experimentais ficam estrategicamente espalhados pela área de atuação.