IEL e CNPq lançam programa de intercâmbio que conecta indústria brasileira a parceiros internacionais

Voltado para a interação entre a indústria nacional e centros de conhecimento internacionais, o recém-criado Programa Inova Global está com inscrições abertas para empresas interessadas em fomentar projetos de pesquisa tanto no exterior, quanto no Brasil, por meio do intercâmbio de pesquisadores-bolsistas. O prazo termina no dia 30 de agosto. A iniciativa foi idealizada pela Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) e será conduzida em uma parceria entre o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e o Centro Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O programa tem como origem a agenda de “Inserção global via inovação” e busca o fortalecimento de arranjos na área de ciência, tecnologia e inovação, além da capacitação de talentos inovadores. De acordo com a superintendente Nacional do IEL e diretora de Inovação da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Gianna Sagazio, o Inova Global irá conectar a indústria brasileira a parceiros internacionais de referência em inovação.

“O Inova Global vai promover a troca de experiência com instituições de referência em inovação. A nossa ideia é auxiliar a indústria brasileira na construção de conhecimento aplicável e na consolidação de parcerias internacionais”, detalha Gianna. “Os intercâmbios viabilizarão transferência de conhecimento e habilidades entre institutos de tecnologia no exterior, empresas de classe mundial e a indústria que atua no Brasil”, acrescenta a superintendente do IEL.

Todas as orientações, sugestões e demais questões referentes ao programa devem ser encaminhadas ao IEL, pelo site www.programainovaglobal.com.br.

Entre os benefícios do Inova Global estão o acesso à rede de parceiros internacionais; custo competitivo para a execução de projetos de inovação; segurança jurídica para enviar e receber pesquisadores; monitoramento dos intercâmbios; e avaliação de resultados.

Para participar, a empresa precisa apresentar um projeto de inovação, prevendo a viagem de um bolsista para intercâmbio em outra empresa ou o recebimento de um pesquisador estrangeiro. Durante todo o processo, a empresa receberá o apoio do IEL, desde a escolha do bolsista até a execução do plano de trabalho.

Já o pesquisador selecionado deverá elaborar um plano de trabalho com as instituições participantes e conduzir as atividades de pesquisa e desenvolvimento do projeto de inovação. As despesas do intercâmbio serão custeadas por meio de uma bolsa subsidiada pelo CNPq que inclui mensalidade, passagens aéreas, auxílio instalação e seguro saúde.