Identidade digital é base de um governo como plataforma

Com a pressão ainda maior pela pandemia de Covid-19 e a adoção de metodologia ágil no desenvolvimento das aplicações, o avanço na digitalização de serviços públicos é sensível, a começar nos projetos estruturantes, segundo destaca o secretário de Governo Digital do Ministério da Economia, Fernando Mitkiewicz.

“Pelo Gov.br ser uma plataforma transversal, conseguimos aproveitar essa demanda acelerada pelo digital na pandemia e transformar em entregas de fato para a população. Além de diversos serviços, e eles já são mais de 3,4 mil, também é uma plataforma de identificação, que saiu de 1,8 milhão em 2019 e já tem 117 milhões de pessoas, o que é muito representativo se pensarmos na população adulta”, diz Mitkiewicz.

Um exemplo importante, destaca, é o crescimento da adesão à solução de identificação online, que saltou de 1,8 milhão de cadastros em 2019 para mais de 117 milhões no fim de novembro de 2021. “A questão técnica está resolvida e a identidade digital já é uma realidade. São 117 milhões de pessoas, o que é muito representativo se pensarmos na população adulta”, afirma o secretário.

“Temos o desafio de atingir a tão sonhada visão de governo como plataforma e cada vez mais incentivar a inovação na prestação dos serviços públicos. Algumas coisas são chave nesse novo cenário, a começar por uma identidade forte, e aí a biometria é essencial. Já temos acordo com TSE e para uso das carteiras de motorista, recentemente incluímos o ABIS [da Polícia Federal]. Uma identidade forte é base de um governo como plataforma.”

Com 500 milhões de acessos por mês, o Gov.br reúne até aqui 3,4 mil serviços digitais. O avanço rápido, explica Mitkiewicz, deve muito à estratégia de metodologia ágil materializada na criação de equipes especializadas de desenvolvedores. Assistam a participação do secretário da SGD, Fernando Mitkiewicz.

Fonte: Convergência Digital