IA não decide. Quem toma a decisão final é o homem

Ao participar do My Inova Summit 2019, realizado nos dias 21 e 22 de agosto, em Curitiba, com a organização da Assespro Paraná e da Federação Assespro, o especialista da IBM Brasil, Heverton Fischer, disse que a inteligência artificial não gera desemprego. Segundo ele, a falta de trabalho acontece pela ausência de competitividade das companhias.

Ainda de acordo com Fischer, em entrevista à CDTV, do Portal Convergência Digital, o momento é o de ensinar as pessoas para as novas profissões que estão surgindo por conta da inteligência artificial. O especialista admite que o viés é uma preocupação, mas disse que já há sistemas cognitivos sendo criados para combater os vieses negativos. “Tenho convicção que o profissional será mais livre para pensar. A tomada decisão não será nunca da IA, mas sim, do homem”, acrescentou. Assistam a entrevista com Hevertom Fischer.

Hevertom Fischer, da IBM, a inteligência artificial não gera desemprego, quem gera falta de emprego é a falta de competitividade, diz o especialista. O desafio de unir máquinas e homens é para dar mais competitividade para as empresas. As pessoas vão ter de ser ensinadas para as novas profissões que vão surgir. O viés da ética é uma grande preocupação na inteligência artificial, mas já há sistemas cognitivos sendo criados para identificar os vieses negativos. “O profissional será mais livre para pensar. A Inteligência Artificial não terá a palavra final. Essa sempre ficará com o homem”, diz.

Fonte: Convergência Digital.