Hotmilk e iPUC reforçam ecossistema da inovação em Curitiba

O Vale do Pinhão ganhou um reforço de peso, nesta terça-feira (26/11), com a inauguração do Hotmilk, o ecossistema de inovação da PUCPR, e do iPUCPR (pronuncia-se “aipuc”PR), o instituto de cidades inteligentes da Pontifícia Universidade Católica do Paraná.

“É uma grande alegria ver este momento acontecendo no nosso Vale do Pinhão”, afirmou o prefeito Rafael Greca.

No evento de lançamento, Greca esteve acompanhado da presidente da Agência Curitiba, Cris Alessi, e pelos anfitriões, o reitor da PUCPR, Waldemiro Gremski, a pró-reitora de pesquisa e inovação da PUCPR, Paula Cristina Trevilatto, dos professores Fernando Luciano, coordenador da Hotmilk e Eduardo Agostinho, diretor do iPUCPR e demais representantes do corpo acadêmico.

Integradas no edifício do Tecnoparque, na Rua Iapó,1391, próximo ao Campus da PUCPR, no Prado Velho, as estruturas cumprirão o papéis complementares no fomento à inovação.

O Hotmilk fará a curadoria de processos entre grandes empresas, startups e pesquisadores enquanto caberá ao iPUCPR desenvolver pesquisas estratégicas com foco nos desafios das cidades inteligentes.

Fernando Luciano, responsável pelo Hotmilk, destacou que há 24 empresas residentes de diferentes dimensões atuando no ecossistema de inovação. “Iremos iniciar o ano de 2020 com mais de 500 pessoas no mesmo ambiente atuando de maneira colaborativa para transformar a pesquisa em inovação em nome do empreendedorismo”, explicou.

“Este projeto de inovação está dentro da academia mas também pertence à cidadania. A inovação só é válida se houver progresso social”, reforçou Greca.

Conhecimento e prática

Segundo o reitor da PUCPR, professor Waldemiro Gremski, o lançamento do Hotmilk e do iPUCPR representa o coroamento de um processo de decisão da universidade por fortalecer áreas específicas.

“Definimos áreas estratégicas e eu considero que até hoje estão atuais, sendo uma delas a área de cidades”, disse o reitor.

Para Gremski é necessário que a academia transforme o conhecimento em prática em nome do desenvolvimento. “Lutamos na universidade pelo propósito de não fazermos ciência apenas pela ciência. Temos que produzir ciência que possa ser transformada em tecnologia e em inovação”, afirmou.

Para Paula Cristina Trevilatto, pró-reitora de pesquisa e inovação da PUCPR, o prefeito Rafael Greca tem carregado a bandeira da inovação em Curitiba. O protagonismo da cidade e as inciativas do prefeito também foram citadas pelo reitor da PUCPR.

“Temos aqui o Vale do Pinhão e uma Curitiba moderna, inovadora, reconhecida internacionalmente. Isso tudo tem a ver com as ações do prefeito, não apenas neste momento, mas também são frutos da outra oportunidade em que ele administrou a cidade”, disse Gremski.

Barcelona

No evento, o prefeito também destacou o reconhecimento obtido por Curitiba em Barcelona, no Congresso Mundial da Inovação, em que a cidade ficou entre as seis mais inteligentes do mundo, tendo participado de uma disputa com mais de 400 projetos de 56 países.

“Disputamos com quatro capitais de países e uma cidade industrial do Reino Unido. Curitiba foi escolhida pelo conjunto do que somos e do que temos”, observou ao Greca.

“Fomos a primeira cidade do Brasil a ter uma universidade, a pioneira a criar um instituto de pesquisa e planejamento urbano e quem criou o BRT para o mundo”, completou. Segundo o prefeito, todo esse conjunto se soma ao ecossistema da representado pelo Vale do Pinhão. “Agora, o Hot Milk e o iPUCPR acrescentam o leite quente da nossa identidade”, brincou.

Greca lembrou ainda que, em março de 2020, a Prefeitura, por intermédio do Ippuc, e a PUCPR irão lançar a Cátedra Curitiba para disseminar conteúdo sobre a cidade. Ele também citou o lançamento, nesta terça-feira, do aplicativo Urbs Táxi Curitiba e do Plano de Segurança Alimentar e Nutricional ações da Prefeitura de fortalecimento do processo de inovação nas mais diversas áreas.

Fonte: Prefeitura Municipal de Curitiba.