Governo articula ações para ingresso de jovens no mercado de tecnologia

O Governo do Estado é o articulador de uma iniciativa tocada pelo Senac (Serviço Nacional do Comércio) para contratação de jovens aprendizes para empresas de base tecnológica ou interessadas em inovação. O lançamento oficial do programa aconteceu nesta quinta-feira (10), no Palácio Iguaçu, e contou com participação do vice-governador Darci Piana.

O Melhor Aprendiz TECH será executado pelo Senac e abrirá turmas em Curitiba, Ponta Grossa, Londrina, Maringá, Pato Branco, Francisco Beltrão, Cascavel e São José dos Pinhais, cidades que têm vocação na área tecnológica e em ecossistemas de inovação. As vagas serão abertas para as empresas, que devem fazer a seleção dos aprendizes e encaminhá-los ao Senac. A formação acontece em paralelo ao trabalho na empresa.

A primeira fase terá início já em outubro de 2020. Serão disponibilizadas 250 vagas para interessados em desenvolvimento de sistemas em empresas de base tecnológica e em empresas convencionais interessadas na cultura de inovação e que queiram capacitar jovens para trabalhar com Programação de Sistemas e Programação Web.

O vice-governador destacou que o programa foi desenvolvido observando as necessidades do mercado. “Temos dez mil empregos disponíveis em Tecnologia de Informação no Estado. Estamos convocando todo o Sistema S para ajudar na formação e nessas contratações. As 250 vagas abertas nesse momento fazem parte de uma primeira experiência, mas em breve esse número aumentará”, afirmou Piana. “Estamos concretizando uma nova formação específica para ajudar as empresas. Qualificação é uma necessidade urgente e diária do mercado”.

Segundo Henrique Domakoski, superintendente de Inovação do Governo do Estado, o Paraná é o segundo do País em termos de faturamento de empresas de tecnologia e o que mais cresceu nesse segmento em 2019. A Superintendência foi responsável pela articulação da iniciativa junto ao Sistema S e vai ajudar, nesse segundo momento, no contato com as empresas para contratação desses aprendizes.

“A velocidade de crescimento dessas empresas é maior do que o tempo de formação tradicional. Ou seja, é um processo que precisa ser acelerado. Saltos qualificados nesse setor têm de estar acompanhados de treinamento. As empresas paranaenses invariavelmente terão um braço de tecnologia do futuro, é uma exigência, além daquelas já nascidas nesse ambiente”, disse. “E estamos falando de geração de renda, de bons empregos, que pagam bem, de desenvolvimento social do Estado”.

PROGRAMA – Os alunos de 14 a 24 anos passarão por mil horas de formação nas etapas teórica e prática, que serão concomitantes. As aulas serão ministradas pelo Senac. O Melhor Aprendiz TECH também faz parte do Programa Senac de Gratuidade (PSG), que garante formação profissional aos alunos e auxilia as empresas com as contratações.

Para o aprendiz, os benefícios passam por melhoria da renda familiar e ampliação das possibilidades de inserção definitiva no mercado de trabalho. Para a empresa, inclusão social e profissional, incentivo à geração de talentos e capacidade de identificar novos perfis.

“As vagas serão distribuídas em municípios com bases tecnológicas. Com esse programa, atendemos as empresas e contribuímos com a economia paranaense. Nesse programa específico vamos utilizar o ensino remoto e preparar os jovens para atuar em vários contextos relevantes, torná-lo capaz de analisar cenários, de propor soluções criativas. O Senac não se limita à parte técnica”, disse Vitor Monastier, diretor regional do Senac.

Serão 440 horas de parte teórica em duas principais competências (Programador de Sistemas e Programador Web), com objetivo formar profissionais para desenvolver sistemas de informação, implementar banco de dados, realizar testes de manutenção do sistema de informação, aplicações web e suas manutenções. Serão, ainda, 560 horas de prática. O Melhor Aprendiz TECH terá duração total de um ano.

“Há uma defasagem no número de colaboradores para TI. Esse programa incentiva esse acesso às empresas de base tecnológica, inicia um novo ciclo para aumentar a quantidade de colaboradores. Precisamos engajar os jovens em TI”, afirmou Adriano Krzyuy, presidente da Assepro-Paraná. “Esse programa também é importante por causa da sua capacidade de alcançar todo o Estado. Atualmente, 50% dos trabalhadores de TI estão na Capital e 50% já estão no Interior. Essa abrangência é fundamental”.

O programa conta com apoio do Sindicato das Empresas de Processamento de Dados e Serviços Técnicos em Informática do Estado do Paraná (Sepropar), do Sebrae Paraná e da Associação da Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro), além de parceiros locais nas regiões onde ele será ofertado.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná