Estudo mostra fontes de informação e cooperação de empresas de TI inovadoras

Preferência é por organizações no próprio Brasil; clientes e consumidores, fornecedores e até concorrentes estão entre as principais fontes constadas pelo “Insight Reports”

Os próprios clientes, fornecedores e até mesmo concorrentes estão entre os grupos mais buscados como fonte de informação e cooperação para empresas de tecnologia da informação do Brasil, que investem em inovação. Essa é uma das constatações da mais recente edição do “Insights Report – Panorama do Setor de Tecnologia da Informação e Comunicação”, estudo produzido pela Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro), pela Assespro no Paraná e pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

A pesquisa aponta ainda que a maioria das empresas de TI inovadoras recorre a fontes de informação e cooperação do próprio Brasil. Para o professor Victor Manoel Pelaez Alvarez, da UFPR, integrante da equipe responsável pelo estudo, é marcante, com vistas à implementação de processos de inovação, as empresas de TI se basearem em amplo leque de fontes. “As empresas utilizam informações de diversas fontes, e a sua capacidade para inovar está diretamente relacionada à sua habilidade em acessar, absorver e combinar tais informações”, afirma.

DADOS

De acordo com o estudo, das empresas de TI inovadoras que recorreram a fontes de informação no Brasil, mais da metade declara buscar essas informações nos seguintes grupos: clientes ou consumidores, utilizados por 81% das empresas; fornecedores (73%); redes de informações informatizadas (73%); concorrentes (71%); e feiras e exposições (66%).

Quanto à procura por cooperação, também se sobressaiu a procura por relações com clientes e consumidores (opção de 12% das empresas de TI inovadoras), grupo seguido de perto por fornecedores (11%). A cooperação é preferencialmente também com organizações instaladas no Brasil, assinala Victor Alvarez. “As relações com organizações fora do país foram inexpressivas, sendo que a maior frequência foi com fornecedores estrangeiros.”

Quando a análise é feita sobre o ramo de atividade das organizações parceiras das empresas de TI inovadoras, a pesquisa identificou que essa cooperação se dá sobretudo com o ramo de serviços em TI (18%) e com o sub-setor serviços selecionados (18%). Próximos estão também os ramos indústrias de transformação (15%) e indústria extrativa (10%).

Dentro do ramo de serviços em TI, a cooperação procurada por empresas de TI inovadoras se verifica de forma bastante pulverizada: 21% estabeleceram relações com empresas de software não customizável, ao passo que 20% com o segmento de software sob encomenda, 19% com software customizável, e ainda 19% com segmento de tratamento de dados, e 14%, outros serviços de TI.

MAIS INFORMAÇÕES

Esta edição do “Insight Reports” é baseada na última Pesquisa de Inovação (Pintec) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), que abrange o período de 2015 a 2017.

O “Insights Reports”, com as informações detalhadas e gráficos, está disponível  aqui.

 Para acessar, é necessário apenas um cadastro, gratuito.