Abertura de empresas brasileiras de tecnologia no Reino Unido dura apenas 15 minutos

Evento na Assespro – PR em Curitiba explicou tudo o que é preciso saber para abrir uma empresa brasileira de TI no país europeu e foi palco de aproximação importante entre os dois países.

Oportunidades de negócios para empresas de tecnologia do Paraná e Reino Unido foi tema do Brazil Tech Roadshow, realizado na última quarta-feira, 11 de setembro, na Assespro – PR, em Curitiba. Trata-se de uma das iniciativas do Ministério do Comércio Internacional do Reino Unido (DIT-UK) para fomentar a internacionalização de empresas de tecnologia brasileiras e atraí-las para lá.

Os especialistas do DIT-UK explicaram tudo o que é preciso saber para dar esse passo e foram apresentados casos reais de empresas brasileiras que estão se dando bem no Reino Unido, enfatizando sua trajetória, caminhos necessários e como funcionam as parcerias.

Adam Paul Petterson, cônsul honorário do Reino Unido em Curitiba, esteve presente no encontro e lembrou que, há 100 anos atrás, o Reino Unido era o maior parceiro comercial do Brasil e afirmou que, com iniciativas como essa, é possível restabelecer essa relação.

“A única forma de prever o futuro é criá-lo. Então, na verdade, eu acho que é isso que estamos fazendo aqui, tentando criar um novo futuro de relações bilaterais ao fomentar cada vez mais esses laços comerciais de tecnologia”, afirma Adam.

Adam reconheceu a importância de que essa edição tenha sido realizada em Curitiba, uma cidade que, segundo ele, é referência nacional e internacional em inovação, assim como o Reino Único, que tem uma rica história de inovação desde a Revolução Industrial. Por isso, acredita que essa conexão seja muito positiva para ambas as partes.

As grandes vantagens de se manter relações com o Reino Unido e que foram debatidas no evento é que ele é um mercado consumidor bastante atraente, extremamente flexível e pode servir de teste pra vários produtos e serviços, como um trampolim pra vários lugares do mundo. Existem trens, aeroportos e a própria rodovia com fácil acesso ao resto da Europa.

Além disso, abrir uma empresa no Reino Unido é um processo bem fácil: demora 15 minutos, é possível ser finalizado em 24 horas e não é necessário ter um sócio local. Com isso, a empresa se torna britânica e tem acesso a todos os benefícios e programas que uma empresa britânica tem.

Outro fator relevante de se estabelecer essa relação e que foi frisado no Brazil Tech Roadshow é que, às vezes, o mercado não é tão maduro: “A necessidade de se internacionalizar nem sempre é um segundo passo, às vezes é simplesmente porque ainda não é possível inserir essa solução aqui, porque talvez ela seja muito mais avançada do que o mercado possa estar absorvendo”, defende Flávia Oliveira, gerente de investimentos do DIT-UK.

A função do Ministério do Comércio Internacional do Reino Unido (DIT-UK) é justamente facilitar e encaminhar as empresas brasileiras que têm interesse em se internacionalizar, respondendo pequenas dúvidas, auxiliando nos processos de planejamento, decisão e até operacionais.

 “Nosso papel é construir, promover, trazer, a relação bilateral dentro do setor. Entre empresas e stakeholders de forma geral, associações, investidores, pra fazer negócios e promover essa relação entre o Reino Unido e o Brasil e vice-versa”, explica Cristiano Andrade, gerente de desenvolvimento de negócios de tecnologia e cidades inteligentes, do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior do Governo Britânico no Brasil.

“Estamos satisfeitos com o grande público que esteve no evento. Nosso objetivo é potencializar os negócios com os nossos associados, gerar o networking e avançar com mais ações. É muito importante nos atualizarmos sobre as possibilidades no exterior. pois nossos empresários tem se engajado bastante para a internacionalização, então temos incentivado essas oportunidades aqui pra Curitiba” conclui Adriano Krzyuy, presidente da Assespro – PR.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.