6 dicas para se proteger dos ataques na internet

No Brasil, a cada segundo, uma pessoa é atingida por algum cibercrime. Como se proteger desse problema será tema de Fórum Internacional em Curitiba

Em terra virtual, quem não teve seus dados violados através dos crimes cibernéticos é rei. Situações como ameaças, fraudes, ofensas, extorsões, assédios sexuais, por exemplo, ocorrem 54 vezes por minuto, no Brasil, de acordo com pesquisa feita pela Symantec.

Como se proteger de ataques cibernéticos é o intuito do Fórum Internacional sobre Segurança Cibernética – CyberSec 2019, que ocorre no Campus da Indústria da Fiep, em Curitiba, nos dias 25 e 26 de junho. As inscrições custam a partir de R$ 380,00 (para grupos de 10 pessoas) e R$ 420,00 (individuais) e podem ser feitas através do Sympla: https://www.sympla.com.br/cybersec-2019—forum-internacional-de-seguranca-cibernetica__499146. O Fórum Internacional sobre Segurança Cibernética é realizado pela Paraná Metrologia, Fundação Araucária, Sistema Fiep, Instituto de Tecnologia do Paraná (TECPAR), Universidade Federal do Paraná (UFPR), Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro-Paraná) e Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre). Mais informações no site www.cybersec.org.br.

Confira algumas dicas do presidente da Assespro-PR, Adriano Krzyuy, para ajudar a aumentar a segurança de seus dados na internet:

Endereço
Hoje, os sites têm a possibilidade de contratar, com seus provedores, os Certificados de Segurança. E cada usuário pode saber se o endereço que está acessando é seguro. Basta ver se o link começa com https. O S significa que o ambiente foi verificado e é seguro.

Senhas
É necessário criar senhas fortes, que contenham letras maiúsculas, minúsculas, números e caracteres especiais (como asteriscos, traços, acentuações, entre outros). Também evite utilizar a mesma senha para todos os seus cadastros e, troque, pelo menos, uma vez por semestre.

Antivírus
Sempre mantenha seu antivírus ativo e com verificação automática, independente do seu dispositivo. Assim, quando houver alguma ação suspeita, o programa irá detectar e remover a ameaça. Paralelo ao programa, ative o firewall do seu dispositivo para impedir a invasão de códigos maliciosos.

Salve arquivos em vários lugares
Guardar seus principais arquivos, documentos e informações em mais de um local, dificulta que você perca os arquivos. Armazenamento em nuvem, pendrives e HDs externos são as opções mais indicadas.

E-mails
Acesse as mensagens eletrônicas apenas de fontes confiáveis e conhecidas. E lembre-se que, raramente, bancos entrarão em contato por e-mail solicitando alguma ação.

Conexões
Ao conectar seu dispositivo à internet, sempre utilize redes Wi-Fi seguras, pois elas também podem ser alvo de algum ataque cibernético.

Muitas pessoas não sabem, mas quem comete algum delito virtual pode ser preso. Além disso, o Projeto de Lei 154/19, que está aguardando análise da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, pretende mudar o Código Penal (Decreto-Lei 2.848/40) e incluir a análise de agravantes, o que pode gerar um aumento da pena-base a quem comete crimes cibernéticos. Hoje, essa pena-base varia de 6 meses a dois anos de prisão.

Fonte: Parana Shop.