Tribuna Livre: Lei de Inovação deve atrair investidores a Curitiba

A convite da Comissão de Economia, Tribuna Livre recebeu o diretor jurídico da Agência Curitiba de Desenvolvimento, Frederico Augusto Munhoz da Rocha Lacerda. (Foto: Rodrigo Fonseca/CMC)

“Os investidores estão procurando segurança”, defendeu o diretor jurídico da Agência Curitiba de Desenvolvimento, Frederico Augusto Munhoz da Rocha Lacerda, durante a Tribuna Livre desta quarta-feira (12). Ele debateu com os vereadores benefícios da Lei de Inovação, projeto (005.00370.2017) do Poder Executivo que tramita nas comissões da Câmara Municipal de Curitiba (CMC). Segundo o convidado, a norma trará diretrizes e a continuidade das políticas públicas para o segmento, atraindo investimentos para a cidade.

“Curitiba tem ativos muito fortes. Trabalhando sempre [a inovação] traz segurança de continuidade. Com a criação da lei, do Conselho Municipal de Inovação, você consegue que independentemente de quem esteja na cadeira do Executivo haja uma continuidade”, avaliou Lacerda. “A vantagem desta lei [proposição] é ter sido construída a várias mãos”, destacou. Ele explicou que a proposta foi apresentada ao prefeito eleito, em 2016, por quatro universidades. Ao assumir o mandato, em 2017, Rafael Greca teria constituído um grupo de trabalho. Além do poder público e do meio acadêmico, o texto recebeu sugestões do setor produtivo.

O convidado comentou o relançamento, na semana passada, do programa Bom Negócio – Vale do Pinhão, iniciativa da prefeitura destinada à capacitação em gestão empresarial. Lacerda ainda destacou que Curitiba foi considerada a cidade mais inteligente e conectada do Brasil, de acordo com o ranking Connected Smart Cities 2018, divulgado no último dia 5. A capital, que no ano passado ocupava a segunda colocação, superou São Paulo. “Se não continuarmos oferecendo o melhor ambiente de negócios, Curitiba não vai alcançar o patamar que pode alcançar”, afirmou.

O ranking Connected Smart Cities 2018 também foi ressaltado por Thiago Ferro (PSDB), presidente da Comissão de Economia, Finanças e Fiscalização da CMC, colegiado responsável pelo convite da Tribuna Livre, e pelo líder do prefeito na Casa, Pier Petruzziello (PTB). “Promovemos uma audiência pública [sobre o projeto de lei, em agosto], com a participação expressiva de várias pessoas que entendem do tema. Como resultado tivemos o encaminhamento de sugestões ao Executivo e emendas [proposições de sua autoria]”, disse Ferro. “Precisamos reconhecer o que é feito de bom. Nossa autoestima como curitibanos precisa ser elevada”, declarou Petruzziello.

Felipe Braga Côrtes defendeu, dentre outras temas, emenda de sua autoria, assinada junto a Professor Euler, também do PSD, para alterar a composição do Conselho de Inovação (035.00002.2018). A Julieta Reis (DEM), Lacerda respondeu que “quando a gente fala em inovação pode ter tecnologia ou não”. No primeiro modelo, citou estudos para o Estacionamento Regulamentado (EstaR) digital. No outro, a mobilidade. “O que a gente tem procurado fazer é trazer soluções, dentro do Vale do Pinhão, que tragam a melhoria de vida ao cidadão”, apontou ele.

“É muito importante que a gente trabalhe em conjunto essas comunidades. A cidade inteligente busca trazer todos seus cidadãos a patamares muito próximos”, declarou o convidado a Goura (PDT), que havia perguntado sobre projetos à Vila Torres e ao Parolin, próximos à sede da Agência Curitiba, no Rebouças. Também participaram do debate, com elogios ao projeto de lei e ao Vale do Pinhão, os vereadores Mauro Bobato e Oscalino do Povo, ambos do Pode. O superintendente de Inovação da Copel, Marcos Pessoa, acompanhou a Tribuna Livre.

Restrições eleitorais
Em respeito à legislação eleitoral, a divulgação institucional da CMC será controlada editorialmente até o dia 7 de outubro. Não serão divulgadas informações que possam caracterizar uso promocional de candidato, fotografias individuais dos parlamentares e declarações relacionadas aos partidos políticos. As referências nominais aos vereadores serão reduzidas ao mínimo razoável, de forma a evitar somente a descaracterização do debate legislativo – e ainda que nestas eleições só metade dos parlamentares sejam candidatos, as restrições serão aplicadas linearmente a todos os mandatos (leia mais). Você pode ver os discursos dos vereadores na íntegra em nossas redes sociais (YouTubeFacebook).

Fonte: Câmara Municipal de Curitiba.