Projetos do Vale do Pinhão podem receber recursos de programa da ONU

A presidente da Agência Curitiba, Cris Alessi, apresentou, no último sábado (19/5), para Michael Nolan, diretor do Programa Cidades do Pacto Global das Nações Unidas (ONU), projetos inovadores da capital que poderão ter apoio do organismo internacional para potencializar as ações e angariar novas fontes de recursos. “São iniciativas pioneiras do município alinhadas com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e que mostram a integração entre os setores público e privado”, afirmou Cris.

Durante a apresentação, no Engenho da Inovação, a comitiva liderada por Nolan conheceu iniciativas pioneiras que estão sendo desenvolvidas pelo Vale do Pinhão, o movimento de todas as áreas da Prefeitura e do próprio ecossistema de inovação da capital para tornar Curitiba a cidade mais inteligente do país.

“A capital do Paraná mostra que é, realmente, referência em inovação e suas iniciativas poderão ser replicadas em várias outras cidades do Brasil e do mundo”, frisou o diretor do Programa Cidades do Pacto Global da ONU, Michael Nolan.

Na avaliação de Nolan, poderão ter apoio do programa internacional iniciativas como os Faróis de Inovação, espaços públicos makers do município, em que as crianças podem construir protótipos com impressora 3D; o programa Horta do Chef, que transformou cozinheiros renomados em mentores e clientes de produtores urbanos de hortas comunitárias da cidade; e a parceria entre a Prefeitura e o movimento Reação Urbana para transformar os bairros do Rebouças e Prado Velho em um grande laboratório de requalificação de vazios urbanos.

Adesão

Em outubro de 2017, Curitiba aderiu aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, por meio de uma carta de compromisso do governo estadual para os municípios paranaenses e a adesão ao Pacto Global da ONU. “Temos um programa completo para perseguir os ODS”, afirmou o prefeito Rafael Greca durante solenidade de assinatura de um acordo com o Movimento Nacional dos objetivos.

Estabelecidos pela ONU em 2015, os ODS devem ser atingidos até 2030 e visam promover a prosperidade, proteger o meio ambiente e enfrentar as mudanças climáticas.

Na ocasião, o prefeito já havia citado a criação do programa de desenvolvimento de hortas urbanas, o incentivo à inovação e à economia criativa no Vale do Pinhão e a grade de educação ambiental dentro do programa Linhas do Conhecimento. “Queremos também uma imersão da cidade em programas que contemplem novas energias”, disse Greca. O prefeito também citou o Prêmio Mundial do Habitat conquistado por Curitiba em 1996, durante sua primeira gestão na capital.

O diretor jurídico da Agência Curitiba, Frederico Lacerda; e o representante do Reação Urbana, o arquiteto Orlando Ribeiro, também participaram do encontro com os representantes do Programa Cidades do Pacto Global da ONU.

Fonte: Bem Paraná.