Paraná tem aumento de 30% nos Registros de Software

A Assespro-PR apresenta a pesquisa dos indicadores de depósitos de registros de software no Brasil, registrados no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI), no período de 2013 a 2017. A análise faz parte do projeto Insights Report: Panorama do Setor de Tecnologia da Informação 2018, realizado pela Assespro-PR em parceria com o Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Os dados disponibilizados pelo INPI permitiram gerar vários indicadores, como por exemplo: Evolução anual dos depósitos totais, por natureza jurídica e por residentes e não residentes; participação relativa dos pedidos de registro, por tipo de pessoa jurídica; participação relativa dos pedidos de residentes, por unidade da federação (UF) e por município paranaense; participação relativa dos 50 maiores depositantes, por natureza jurídica; identificação dos depositantes, residentes no Paraná, listados entre os 50 maiores depositantes de registro de software, entre outros.  

Segundo o diretor presidente da Assespro-PR,  Adriano Krzyuy, temos um grande volume de empresas na área de software, mas a adesão para o registro de programa de computador aqui no Brasil ainda é baixa pelo lado dos empresários. “Em 2017 nós não chegamos a 1700 depósitos de problema de computador no INPI. Pelo volume empresarial e quantidade de software desenvolvido esse número poderia ser superior ao que conseguimos chegar. Há um trabalho a se fazer quanto a percepção do empresário em relação a colocação desses pedidos de software no INPI”, declara.

É importante salientar que para a construção dos resultados da pesquisa utilizou-se duas bases de dados. A primeira, refere-se às Estatísticas Preliminares das informações do Sistema de Protocolo Automatizado Geral – PAG do INPI. A segunda, publica os pedidos de registro de software, na Seção VII (Programa de Computador) da Revista de Propriedade Intelectual.

O professor do Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná, Victor Manoel Pelaez, afirma que o assunto analisado nesta edição pode influenciar nas tomadas de decisões e aponta outros aspectos de destaque. “Este estudo pode influenciar à medida que apresenta indicadores dos ramos de atividade a que são destinados os registros, as linguagens de computador mais utilizadas e as principais empresas registrantes. Podemos citar como dados de destaque o crescimento de 13% nos registros de software no país nos últimos 5 anos e o aumento de aproximadamente 30% nos registros paranaenses, colocando o estado em  quinto lugar com maior número de registros no INPI”, relata.

Clique aqui para acessar o estudo completo de Registros de Software.