Governos estão com apetite para o uso da nuvem, diz diretor da AWS

Os ventos são favoráveis para o uso crescente da computação em nuvem, notadamente pelo esforço de governos, sejam federal, estaduais ou, até mesmo, municipais. Das soluções propiciadas por startups para dilemas urbanos até a digitalização em larga escala dos serviços públicos há um apetite para a nuvem, segundo aposta o porta voz mundial da AWS para o setor público, Jeff Kratz.

“Temos visto governos com papel proativo por toda a América Latina e particularmente no Brasil. Já trabalhamos com vários ministérios, com governos estaduais, com municipalidades. E parece que há um aumento no apetite, seja pela redução da burocracia, pelas reformas, pela digitalização. Os próprios cidadãos querem acelerar”, afirma Kratz em entrevista ao Convergência Digital.

Ele destaca iniciativas relacionadas a cidades digitais, como a proposta da startup catarinense Camerite, que lançou em São Paulo uma solução que compartilha imagens gravadas por câmeras particulares com os órgãos de segurança pública. Ou, ainda, o aplicativo móvel que oferece serviços de ERP para prefeituras pequenas que não têm recursos para adquirir as principais soluções de mercado. “Há soluções aqui que mostramos em outros países e eles se perguntam porque ainda não tiveram essa ideia”, diz o executivo.

Segundo ele, governos têm três responsabilidades centrais nesse tema: modernizar a legislação para promover setores tecnológicos; incentivar o desenvolvimento de startups e criar políticas públicas que premiem a inovação. Cenário favorecido pelo interesse da própria administração em conhecer e usar os novos recursos.

“A nuvem permite a uma startup ter as mesmas garantias que grandes empresas ou administrações. Dá flexibilidade, escalabilidade e segurança. Para os governos, isso também significa escalar para mais quando há demanda e desativar quando não mais necessário, sem preocupações de legado, por exemplo. E vemos o governo curioso para implementar nuvem e aprender.”

Fonte: Convergência Digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *