Com planejamento até 2035, setor de tecnologia do Paraná quer liderar negócios na América Latina 

 

O Comitê de Governança de Tecnologia da Informação e Comunicações do Paraná começa a desenhar o futuro do setor no estado com um planejamento estratégico até 2035. Representantes de empresas, do poder público e da academia já definiram a visão do grupo para as próximas décadas: ser o principal polo de negócios de TIC na América Latina.

Também foram definidos objetivos estratégicos para garantir o sucesso das ações do setor em áreas como infraestrutura, educação, capital humano, capacitação, pesquisa desenvolvimento e inovação, incubadoras e parques tecnológicos, integração entre academia e mercado, propriedade intelectual, políticas, legislação, empreendedorismo, ambiente de negócios, competitividade empresarial e internacionalização.

Para a Assespro-Paraná, que participou do processo de criação do Comitê de Governança de TIC, a visão ousada, estabelecida logo de início, confirma a importância do trabalho que passa a ser realizado. “Cria uma missão muito grande para o nosso estado. Há uma grande sinergia entre empresas produtoras de soluções tecnológicas, o mercado consumidor, as instituições de ensino e parceiros do setor e entidades públicas, destaca o presidente Sandro Molés da Silva.

O planejamento até 2035 foi definido nas três primeiras reuniões do Comitê de Governança na sede do Sebrae Paraná em Curitiba.

O trabalho foi coordenado pelo consultor Claudinei Alves, que destacou a união de empresariado, poder public e academia na definição de objetivos e metas para os próximos 20 anos: “são grupos diferentes, mas com algo em comum. Com essa visão compartilhada, no final, todos ganharão com a concretização desse sonho. Esse é o grande mérito de se trabalhar com um grupo tão diverso. E agora, vem o desafio de fazer acontecer”.

O coordenador de Ciência e Tecnologia da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior , valoriza essa nova integração. “O Governo do Paraná compreende a importância de criar uma governança e colocar todos os atores envolvidos em conjunto. Nós entendemos que é importante dialogar e construir, a partir disso, um novo momento para o estado em inovação e tecnologia”, explica Evandro Razzoto.

O superintendente do Sebrae Paraná também participou da reunião do grupo e reafirmou o apoio da entidade. “Estamos trabalhando com o setor de TIC há muito tempo, buscando o desenvolvimento e a elevação de patamar das empresas. Quando se fala em governança de TIC, não conhecemos outro modelo igual a esse no Brasil. É o Paraná, novamente, mostrando que, trabalhando juntos, com todas as entidades, podemos estar mais à frente”, comemora Vitor Tioqueta.

Notícia repercutida também na Revista Nacional de Tecnologia da Informação – RNTI, em 05/10/2016.