Censo ALETI+ Setor TIC 2018

Eu sou um bloco de texto. Clique no botão Editar (Lápis) para alterar o conteúdo deste elemento.

Clique aqui para responder o Censo ALETI+ Setor TIC 2018

Motivação para o Censo ALETI

Com o objetivo de mapear o setor de Tecnologia da Informação, a Federação Iberoamericana de Entidades de Tecnologia da Informação e Comunicação – ALETI, e no Brasil em conjunto com a Federação das Associações das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação – Federação Assespro, desenvolvem anualmente a iniciativa conhecida como “Censo do Setor de TI”.

O setor de Tecnologia da Informação tem uma série de características que o diferenciam de todas as outras atividades econômicas. No entanto, por se tratar de uma atividade econômica relativamente nova, o volume de informações disponíveis sobre o próprio setor é bastante limitado. A fonte tradicional de informação é baseada na análise das bases de dados de governos. Por exemplo, através de declarações de impostos das empresas (de entrega obrigatória) e sobre seus empregados (também obrigatório em muitos países, incluindo o Brasil), é possível obter dados sobre a evolução do volume de negócios e do emprego no setor. A Assespro-Paraná, em parceria com o Departamento de Economia da UFPR (Universidade Federal do Paraná), publica o Insights Report desde janeiro.2018 com dados consolidados das bases governamentais.

Outra fonte de informação que tem sido desenvolvida através dos esforços das instituições de estatísticas oficiais, em todo o mundo, é o resultado do programa “Sociedade da Informação“, sob os auspícios das Nações Unidas, iniciado há quase duas décadas. Os indicadores gerados por essas fontes, no entanto, concentram-se na avaliação da integração da infra-estrutura tecnológica no dia-a-dia das sociedades de cada país, medindo, por exemplo, o número de usuários de Internet, os computadores a cada cem habitantes e/ou famílias, o percentual de escolas com acesso à Internet, etc.

Uma terceira fonte de informação, amplamente utilizada por grandes empresas globais no setor da Tecnologia da Informação e da Comunicação, consiste em empresas especializadas em pesquisa de mercado para o setor. O objetivo das empresas globais é vender seus produtos a nível mundial; daí decorre que essas pesquisas colocam seu foco em monitorar o desempenho do mercado consumidor, em vez da indústria de TICs. Quando essas empresas globais se interessam em pesquisar as indústrias “locais”, geralmente há uma busca motivada pelo interesse em expandir a sua rede de parceiros. Neste caso, os institutos de pesquisa visam apenas as empresas de TI que possuem o perfil almejado pelo player global. Este procedimento não busca construir amostras representativas da realidade de cada país, mas apenas encontrar parceiros convenientes ao patrocinador da pesquisa.

Concluímos, portanto, a necessidade de desenvolver estudos sistemáticos e detalhados da própria indústria TIC, para permitir, por exemplo, que uma determinada empresa possa realizar benchmarking em relação ao resto do seu país, a outro país onde pretenda se instalar, ou a empresas semelhantes a ela.

A Assespro-Paraná mantém a página dos Estudos Setoriais identificados como importantes para que empresários, profissionais e estudiosos da área possam trabalhar as informações para que o desenvolvimento setorial seja cada vez mais rico de conhecimento.

História

Esta iniciativa surgiu a partir de uma decisão do Conselho de Administração da Federação Assespro, Brasil, em 2010. Notando que alguns países já tinham iniciado um processo de desenvolvimento de estudos locais (mas que surgiram sem qualquer coordenação, prejudicando a comparabilidade com dados de outros países), trabalhou-se durante todo o ano de 2011 em uma solução para harmonizar os dados entre países.

Em 2012, a primeira experiência concreta de coleta de dados junto a empresas foi lançada com o nome de “Censo Assespro do Setor de TI – Edição 2012”: nessa ocasião participaram 360 empresas de 19 estados brasileiros. Os dados publicados como resultados foram baseados nos dados de 285 empresas (desqualificando os restantes 21% em função de alguns erros como, por exemplo, não ter concluído o questionário ou a presença de incoerências no preenchimento).

Desde 2013, o Censo do Setor de TI é realizado simultaneamente em todos os países filiados à ALETI. Aparte do expressivo número de países envolvidos, essa expansão também exigiu a capacidade de desenvolver o Censo em diferentes idiomas simultaneamente. Em 2013 participaram mais de 800 empresas de 17 países, enquanto em 2014 atingimos a marca de 1.300 empresas de 19 países. 2015 marcou a primeira experiência de expansão da iniciativa para fora da região ibero-americana. Desde 2017, a iniciativa está aberta a participação de todos os países do mundo.

Benefícios para as empresas participantes

As empresas participantes são as primeiras a receber os resultados, permitindo-lhes o acesso privilegiado a dados de mercado inéditos. Opcionalmente, as empresas participantes podem autorizar a utilização das informações (que contribuem sobre seu próprio perfil) para a geração de oportunidades de negócios, incluindo demandas locais de mercado e alianças internacionais, tanto em iniciativas comerciais, como em projetos de pesquisa e desenvolvimento.

Quais entidades participam

Ao longo dos anos, esta iniciativa já contou com a participação de milhares empresas de 30 países diferentes, graças aos esforços destas associações/organizações:

ACTI – Asociación Chilena de Empresas de Tecnologías de Información
AESOFT – Asociación Ecuatoriana de Software
AHTI – Asociación Hondureña de Tecnología de Información
AMETIC – Asociación de Empresas de Electrónica, Tecnologías de la Información, Telecomunicaciones y Contenidos Digitales (España)
AMITI – Asociación Mexicana de la Industria de Tecnologías de la Información
ANETIE – Associação Nacional das Empresas das Tecnologias de Informação e Electrónica (Portugal)
APESOFT – Asociación Peruana de Productores de Software
ASETI – Asociación Salvadoreña de Empresas de Tecnologías de Información
ASSESPRO – Federação das Associações de Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação
BCS – Bangladesh Computer Society
CAMARATIC – Cámara Dominicana de las Tecnologías de la Información y de la Comunicación
CAMTIC – Cámara de Tecnologías de Información y Comunicación (Costa Rica)
CANIETI – Cámara Nacional de la Industria Electrónica, de Telecomunicaciones y Tecnologías de la Información (México)
CAPATEC – Cámara Panameña de Tecnologías de Información y Telecomunicaciones
CASATIC – Cámara Salvadoreña de Tecnologías de Información y Comunicaciones
CAVEDATOS Cámara Venezolana de Empresas de Tecnologías de la Información
CBTI – Cámara Boliviana de Tecnologías de la Información
CCH – Cámara de Comercio de La Habana – Cuba
CESSI – Cámara de Empresas de Software y Servicios Informáticos de Argentina
CISOFT – Cámara Paraguaya de la Industria del Software
CUTI – Cámara Uruguaya de Tecnología de la Información
EITESAL – Egyptian Information, Telecommunications, Electronics and Software Alliance
FEDESOFT – Federación Colombiana de la Industria de Software
GECHS – Asociación Gremial de las Empresas Chilenas Desarrolladoras de Software
ITAN – Information Technology Industry Association of Nigeria
SOFEX – Comisión de Software de Guatemala
ZITex – Slovenian IT Association

Como Participar da Edição 2018 do Censo do Setor de TIC

Português: Para participar acesse aqui o questionário

Español: Para participar acceda aquí al cuestionario

English: To participate, access the questionnaire

* Acesse aqui o Guia do Censo ALETI+ do Setor TIC 2018

Acesse abaixo as promoções anteriores do Censo Aleti+ Setor TIC

Censo Aleti+ Setor TIC 2017

Resultados