Assespro e APLs realizam encontro de tecnologia e inovação em Cascavel

A Assespro-Paraná, Iguassu-IT, Sebrae e Rede APL TIC promoveram o 29° Encontro da Rede APL de TIC PR, nessa sexta-feira (13) na sede do Sebrae de Cascavel, reunindo empresários de todo o Paraná. O objetivo do encontro é de contribuir para a competitividade e geração de negócios no Setor de Tecnologia da Informação do Estado do Paraná, contando com a articulação e apoio da Assespro-Paraná.

A abertura oficial ocorreu com a explanação do presidente da Assespro, Adriano Krzyuy que destacou a importância do trabalho conjunto e a conexão com outros ambientes. Potencializar a geração de negócios, incrementar a competitividade, busca de apoio político e disseminar o uso massivo de tecnologia estão entre as premissas de trabalho da entidade.

Uma parceria foi assinada com a BrasCloud, o que proporciona desconto de 10%  no consumo, mentoria, e 10% de desconto nas ferramentas de backup. Uma das ações no Mapa Estratégico da Assespro está voltada a parcerias e, neste cenário está o Parque Tecnológico de Itaipu (PTI), que também assinou termo de parceria.

No campo da busca de apoio política a Assespro-Paraná trabalha junto à Assembleia Legislativa com a busca de incentivos para o setor de TI no Estado, por exemplo, com o Fundo de Inovação e aprovação da Lei de Inovação. Também foi posicionado sobre a Assessoria Parlamentar da Federação Assespro em Brasília, que acompanha aproximadamente 850 projetos que impactam o setor de TI. Quarenta deles são acompanhados prioritariamente.

O presidente da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Fundetec), Alcione Tadeu Gomes, assinou parceria para estreitar o relacionamento com a Assespro-Paraná para cooperação científica, tecnológica e empresarial para o desenvolvimento, pesquisa e inovação.

Panorama Estadual

O panorama do setor de TIC do Paraná, foi pautado com o professor do Departamento de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Victor Pelaez. Dentre os destaques esteve o comércio internacional, benefícios da Lei da Informática, instituições de ciência e tecnologia credenciadas e patentes.

Internacionalização

Na sequência o assunto em destaque foi a Competitividade Global, com Reinaldo Marques, coordenador de investimentos da Softex. O tema, ‘Promovendo o Desenvolvimento do Brasil’, foi voltado às linhas de atuação e apoio em tecnologia da informação e comunicação, envolvendo educação, inovação, inteligência, internacionalização, investimentos e qualidade.

São trabalhadas atividades de promoção comercial, captação de funding internacional, e contato com rede de stakeholders internacionais. A ideia é internacionalizar para não perder mercado interno, ou seja, possibilitar que empresas de fora do Brasil tomem o mercado.

Rede APL de TIC do Paraná

As Melhores Práticas e Benchmarking dos APL’s TIC do Paraná foram apresentados pelos representantes dos Arranjos Produtivos Locais.

Cláudio Navarro, de Curitiba, destacou o apoio necessário para os Arranjos Produtivos Locais (APLs), de TIC. Uma pesquisa, segundo Navarro, levou à constatação de que os associados querem obter resultados. A junção com a Assespro-Paraná tornou-se fator fundamental para o desenvolvimento.

Roberto Nishimura frisou a ampliação da ramificação do APL TI Londrina, com desdobramentos para alguns eventos, por exemplo, caso de hackatons, startup weekend e Eco Tic. Um relacionamento positivo com o Poder Público também foi destacado como ponto importante para o fortalecimento do setor, juntamente com a interação com outras entidades e núcleos empresariais.

Sobre Maringá, Edney Marcos Mossambani, apresentou as ações e atuações com mais de 100 empresas associadas ao APL. A instalação do Parque Tecnológico é comemorada. São 170 mil metros quadrados que devem servir de estímulo para as empresas do município.

O presidente da Iguassu-IT, Roberto Carpes destacou as atividades voltadas a aproximação por intermédio da conexão em busca da geração de negócios. A realização de fóruns temáticos, workshops, com compartilhamento de experiências e conhecimentos tem gerado resultados positivos, conforme Carpes. A participação e apoio do Sebrae, PTI, Assespro, Sistema Regional de Inovação (SRI), Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep) e Fundetec.

A associada Diana Spohn compartilhou a experiência de desenvolvimento da própria empresa a partir da maior participação e envolvimento com o ambiente de TI junto à Iguassu-IT.

PTI

A parceria firmada entre PTI e Assespro-Paraná visa o desenvolvimento e execução de programas e projetos de cooperação técnica e o intercâmbio em assuntos educacionais, culturais, científicos, tecnológicos e de pesquisa, desenvolvimento e inovação, e o estabelecimento de mecanismos para sua realização, segundo o gerente do PTI Carlos Araujo.

BRDE

‘Financiamento de Investimentos em Inovação e Tecnologia’ é o tema que foi abordado por Paulo Marques Ferreira, do Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE). Projetos de inovação são desenvolvidos através da Inovacred, com possibilidade de financiamento de até R$10 milhões  para empresas que faturam até R$90 milhões.

Há parceria com a garantidora de crédito Garantioeste, o que agiliza e facilita a aprovação dos projetos.

SGC

Marco Rothe, da Garantioeste, destacou as ‘Sociedades Garantidoras de Crédito’ (SGC). Parcerias com as associações comerciais e empresariais dos municípios aproxima a Garantioeste das empresas. Os valores variam de R$5 mil até R$125 mil para capital de giro e R$187 mil para investimento.

Financiamentos

Augusto Cesar Marins Machado da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) destacou que as Linhas de financiamento com instituições públicas requerem mais tempo para aprovação, e o empresário precisa estar ciente disso.

Uma mesa redonda com abordagem ao tema ‘Investimentos em Tecnologia e Inovação’, teve a participação do BRDE, Garantioeste e Fiep e serviu como espaço adicional para dirimir dúvidas dos empresários.

Bússola da Inovação

Os empresários de TI do Paraná podem ter em mãos um relatório completo com diversos índices a respeito do setor. Para tanto, é necessário responder uma pesquisa que faz parte do projeto ‘Bússola da Inovação’, ferramenta do Observatório Sistema FIEP.