APL de Software de Curitiba e Região torna-se Agente Softex

 

O Arranjo Produtivo Local (APL) de Software de Curitiba e Região comemora a consolidação de uma nova fase de atuação neste mês de abril. A Central de Negócios de Tecnologia da Informação e Comunicação (Cenetic), braço jurídico do APL, tornou-se um Agente Softex. A chancela coloca a associação entre um grupo seleto de 20 agentes autorizados a operar regionalmente os programas da Softex, organização sem fins lucrativos, cujo objetivo é ampliar nacional e internacionalmente a competitividade das empresas do setor.

Entidade designada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) para atuar no desenvolvimento do setor, a Softex (Associação para Promoção da Excelência do Software Brasileiro) beneficia mais de duas mil empresas nacionais, por meio de seus 20 agentes regionais, presentes em 12 estados. O Sistema Softex auxilia os empresários em áreas operacionais, de financiamento e capacitação, por meio da articulação de parceiros privados, governo e academia.

O anúncio oficial da inclusão do APL como Agente Softex foi feito na noite do dia 9 de março, durante o lançamento do Programa de TI do Sebrae/PR, que reuniu cerca de 100 empresários no auditório da entidade. O evento contou com a presença da gerente de inteligência da Softex, Virgínia Duarte, que apresentou dados da indústria nacional desoftwares e serviços de TI e mostrou como as mudanças no cenário mundial irão alterar a maneira de se fazer Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (PD&I).  A data para a cerimônia de formalização do convênio ainda está em definição.

Presidente da Cenetic, o empresário Jandir Bianco Junior define a conquista como de extrema importância para todo o ecossistema. “Não existia mais um Agente SOFTEX na nossa região, estávamos desprovidos dessa representatividade que tanto beneficia o setor. Agora, temos acesso a programas de fomento e capacitações para os empresários da área de TI”, afirma.

O presidente do APL de Software de Curitiba e Região, Marcelo Woiciechovski, defende que o setor tem uma transversalidade com todas as outras áreas profissionais da sociedade e que seu êxito de mercado depende da organização e alinhamento com tendências mundiais. “Essa novidade nos dá capilaridade, nos credencia para falar com os principais players nacionais e internacionais. Podemos ser procurados por empresas de toda parte, interessadas em capacitação e melhorias em seus processos”, detalha.

O Sebrae/PR é o principal ativador do Arranjo Produtivo Local (APL) de Software, governança que envolve mais de 100 micro e pequenas empresas do segmento de TI de Curitiba e região. O objetivo é estimular vínculos de articulação, interação, cooperação e aprendizagem entre os negócios participantes.

Gestor de Projetos APL de Software e Inovação em Ambiente de Negócios do Sebrae/PR, Luiz Gustavo Comeli recorda as mudanças desde quando assumiu o projeto, em novembro de 2014. “Na época, ouvi que o empresário curitibano era avesso aos conceitos de associativismo. Juntos aos empresários e lideranças locais reconstruímos, trouxemos gente nova, conseguimos dar esse ritmo, e agora fechamos essa etapa de reestruturação com chave de ouro”, comemora.

Para Comeli, ser um Agente Softex traz visibilidade e consolida a atratividade tão desejada pelo ecossistema. “Com isso, o ecossistema se fortalece. O Sebrae faz a promoção, mas os empresários entenderam que assumir o protagonismo é melhor para eles”, afirma.

Segundo Jandir Júnior, a novidade torna a Cenetic uma promotora de soluções. “O empresário pode pensar: o que eu ganho indo a uma reunião da associação? Agora, com a marca da Cenetic trazendo cursos e palestras, networkinge aprendizado, o empresário vai querer participar porque tem algo mais a ganhar. Também estamos vendo assessoria de imprensa, soluções em RH e outras novidades, para torná-la ainda mais atrativa”, adianta.

Articulação

Apenas instituições sem fins lucrativos podem ser Agente Softex. Até 2015, a representatividade da entidade em Curitiba e Região ficava a cargo do Centro Internacional de Tecnologia de Software (CITS), instituição integradora de ensino, pesquisa, desenvolvimento e negócios na área de TI, que se descredenciou no ano passado. “Ao saber que essa cadeira estava vaga, em setembro do ano passado, formalizamos nosso interesse em nos tornarmos agentes”, recorda Comeli.

A construção do projeto e as visitas de articulação ocorreram até 30 de novembro, quando o APL de Curitiba e Região recebeu uma comitiva da Softex para ser um Agente. Em 2014, o APL de Maringá já tinha recebido a chancela. “No dia 9 de março recebemos a informação de que a Cenetic  foi homologada com 100% de aprovação do conselho Softex. Para nós, é a consolidação de uma etapa e o início nova fase”, ressalta o consultor do Sebrae/PR.