Adriano Krzyuy fala sobre geração de negócios e fortalecimento de parceiras na Assespro Paraná

 

A Revista Nacional da Tecnologia da Informação entrevistou Adriano Krzyuy, novo presidente da Assespro-Paraná. O empresário assume a entidade com o compromisso de dar continuidade a conquistas no campo da representação política e criar mecanismos para aumentar a geração de negócios para os associados. Saiba mais na entrevista.

RNTI: Qual é sua história na Assespro e no associativismo do setor de TI?

Adriano Krzyuy: Estou associado à Assespro desde o ano 2000 aproximadamente. Sempre acreditei no associativismo como uma das oportunidades que os empresários têm para incrementarem seu relacionamento para geração de novos negócios. Também participei na diretoria da ACIPG – Associação Comercial e Industrial de Ponta Grossa entre 2009-2010, onde fortaleci minhas convicções do associativismo. Durante esse período, também coordenei o APL de TIC dos Campos Gerais e participei mais ativamente nas iniciativas da Assespro-Paraná, estando na diretoria executiva desde 2013.

RNTI: Qual deve ser a marca de sua administração?

Adriano Krzyuy: O atual cenário macroeconômico do Brasil está demandando das instituições como a Assespro-Paraná, fortalecer cada segmento de atuação dos empresários para ajudar a reverter o cenário de crise. A principal marca da nova gestão é incrementar um ambiente para os associados gerarem novos negócios, seja no Paraná, Brasil ou exterior. Nossas ações serão voltadas para as demandas do associado, mas sempre com a visão de gerar negócios. Há grande busca em potencializar os negócios no mercado nacional e internacional, pois nossos concorrentes são globais e não mais locais há muito tempo. Quanto mais forte o ecossistema de tecnologia envolvendo os associados, maiores serão as conexões, gerando oportunidades de negócios.

RNTI: Quais são as metas para o próximo mandato?

Adriano Krzyuy: Inicialmente teremos várias ações para dar continuidade e fortalecê-las. Uma delas é a governança estadual. Aqui no Paraná, a Assespro-Paraná fomentou com muito empenho e atua fortemente como um dos principais organizadores da Governança Paranaense de Tecnologia, ao lado da Secretaria Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior-SETI e Sebrae, onde o objetivo principal é tornar o Paraná o principal polo de negócios em TIC da América Latina. Esse trabalho começou em 2016 e continuará forte no Estado. Agora, também temos a Bancada Digital na Assembleia Legislativa, que permitirá maior apoio político nas ações que demandarem políticas públicas. Também faremos, logo no início da gestão, um planejamento estratégico, compondo toda a diretoria para atender os anseios dos associados.

RNTI: Como vai ser o relacionamento com os Arranjos Produtivos Locais do Paraná?

Adriano Krzyuy: No passado, a Assespro-Paraná apoiou a criação dos APLs de TIC no estado. Manteremos relação estreita com os APLs, pois nossos associados estão inseridos nos arranjos. Podemos potencializar ações em parceria com os APLs, tendo foco na geração de negócios que será nossa principal meta.

RNTI: Quais são as principais demandas do setor junto ao poder público?

Adriano Krzyuy: O poder público pode ajudar a gerar um ambiente de negócios favorável. A partir da governança estadual de TIC e da Bancada Digital, estamos com relação muito afinada com os poderes executivo e legislativo estadual. Junto com a Assespro Nacional, também participamos e debatemos os principais destaques em relação ao governo federal, e que impactam diretamente nossos associados. O governo precisa deixar o caminho aberto para os empresários inovarem e desenvolverem as oportunidades, e assim defenderemos o setor de TIC em todas as esferas.

RNTI: Como vai ser o relacionamento com outras entidades empresariais e a academia?

Adriano Krzyuy: Temos ótima relação com as entidades empresarias. Mas pretendo estreitar ainda mais o relacionamento para que as ações possam ser feitas em parceria. O setor de TIC é transversal aos segmentos de mercado e atuamos em toda economia. Assim, precisamos estar inseridos e em parceria com as entidades representativas de cada setor econômico, pois a tecnologia pode ajudar a salvar da crise diversos setores a partir da inovação. Em relação à academia, buscaremos inovar juntos para que as novas tecnologias possam ser compartilhadas entre empresários e universidades. Precisamos de uma via de mão dupla entre empresários e academia, para que ambos sejam fortalecidos e gerem oportunidades.

RNTI: Como vai ser o diálogo com os associados?

Adriano Krzyuy: Meu perfil é de escutar muito, e sou objetivo nas proposições de ações a partir das demandas. Enquanto diretor na gestão 2015/2016 da Assespro e também nas ações com os APLs, demonstrei que precisamos de resultado no que fazemos. Nossos associados tem e sempre terão espaço para diálogo, pois a Assespro-Paraná só tem sentido em existir se o associado estiver sendo atendido. Mas o associado deve propor e participar da associação, enfim, estar presente para que, a cada dia, tenhamos uma associação mais forte.

 Matéria foi repercutida também na Revista Nacional de Tecnologia da Informação – RNTI, em 23/01/2017.